Quantas reservas via mobile recebe o seu hotel?

O mobile está em crescente expansão e desde então, está também a aumentar o número de reservas via mobile.

Os Hotéis para comunicarem estrategicamente com os seus clientes e consequentemente fazer com que eles reservem, têm de estar presentes nas plataformas digitais que eles utilizam.

Como tal, e segundo a legenda:

Um em cada 4 viajantes faz as reservas de viagens via mobile, sendo que:

  • 19% Dos indivíduos reservam voos;
  • 25% Efetuam as reservas dos hotéis;
  • 29% Reservam cruzeiros;
  • 25% Fazem reservas de carros.

Já 3 em cada 4 viajantes fazem as suas reservas através de outros meios, quer sejam online (computador / tablet) ou offline, telefonema ou agências de viagens.

Posto isto, será que é possível efetuar reservas online de uma estadia num Hotel através de um smartphone?

Os consumidores cada vez mais querem ser capazes de executar tarefas da maneira mais rápida, simples e eficaz possível, e caso isso aconteça, se não tiverem oportunidade de reservar o “seu” hotel, eventualmente irão reservar outro.

Por outro lado, mesmo que não seja intenção dos viajantes fazer reservas via mobile, eles pesquisam muitas vezes pela mesma via a informação necessária para uma reserva consciente.

Assim sendo, a indústria hoteleira tem de estar presente online e no mobile, de outra forma é impossível tirar proveito das novas tendências dos viajantes e aumentar as reservas directas através de smartphones.

Baixe o estudo completo aqui!

Fonte: www.google.com

 

"SUBSCRIBE TO THE BLOG"
Receive an update straight to your inbox every time I publish a new article. Your email address will never be shared
About The Author

Joana Alves

Joana Alves exerce funções de copywriter no HotelBuzz. Licenciou-se em Publicidade e Marketing, vertente Publicidade e gosta de ter ideias como passatempo. Quer fazer da escrita criativa a sua vida, independentemente do formato, daí ir trabalhando no seu blogue: “O Meu Primeiro Nome”. Colaborou no gabinete de comunicação da Associação das Universidades de Língua Portuguesa, produzindo e gerindo conteúdos e fez parte do projecto “Game On” no programa Erasmus, onde colaborou no desenvolvimento de um jogo digital educacional.